segunda-feira, 30 de junho de 2008


.são as coisas que você não diz que me matam de medo, vagando entre a terra e o céu, disfarçadas de segredo.
.
.eu devo gostar de perder meu tempo com você. (gosto(!!), e como gosto!)
.
.fiquei com você pra sempre abraçada. até acabar a madrugada e amanhecer em julho. (com você mais uma vez :)
.
.
.
.a vida é curta pra ser pequena amor, não vale a pena reclamar.
.
.
.
agradecendo


pela família sempre presente

pelos amigos, poucos e sinceros
pelas oportunidades nem sempre agarradas
pelos sinais, que por menor que sejam, evitam grandes estragos
pelos cuidados
pelo colo
pela mão que segura firme quando sinto que vou cair
pela mão que segura a minha quando deito me sentindo triste
porque - apesar das crises - estou em paz
pela "faxina" realizada na minha vida
por ter somente quem realmente importa
pelo que me faz bem
e também pelo que faz mal, mas que ao mesmo tempo me faz crescer
pelo erro, inevitável e necessário
por saber conviver comigo mesma
pelo sábio silêncio
por guiar meu caminho e o das pessoas que amo
pelas pessoas que amo
por mostrar-me, da forma mais linda, que eu estava enganada comigo mesma quanto ao meu "anjo"
por aqui dentro estar tudo calmo, enquanto lá fora está tudo revirado.


tentando ter paciência
tentando não ser radical
tentando não enlouquecer
tentando achar uma saída
tentando não perder o otimismo
tentando deixar pra lá
tentando lidar
tentando mudar
tentando não me culpar
tentando me adaptar
tentando...
tentando...
mas acima de qualquer coisa, acreditando!

domingo, 29 de junho de 2008

"Sempre é possível pedir perdão, reparar um mal, recuperar algo que destruímos.
.
.
Sempre é possível fazer alguma coisa."
(Paulo Coelho)

terça-feira, 24 de junho de 2008

"Em última análise, amam-se os nossos desejos, e não o objeto desses desejos."
(Friedrich Nietzsche)

segunda-feira, 23 de junho de 2008


se eu não falo mais o quanto você é lindo e o quanto me faz feliz; se não lhe desejo mais boa noite da mesma forma que desejava tempos atrás; se não procuro mais fazer tudo que você gosta, se não faço mais coisas pra lhe agradar; se não mando mais mensagem no teu celular pela manhã desejando um ótimo dia, se não sou mais eu quem lota a sua caixa de e-mail com mensagens lindas e carinhosas; se meu primeiro e último pensamento do dia já não é seu sorriso; se eu pareço não me importar mais tanto com você como me importava uma vez; se eu já não pergunto como foi seu dia, se sua mãe está bem, se está cuidando bem dos gatos ou como estão as coisas na faculdade; se eu já não me ofereço pra ouvir suas reclamações e chororôs, se eu já não procuro aprender a fazer aquela comidinha que você gosta, só pra fazê-la pra você; se eu não deixo as minhas coisas em última opção pra poder ficar com você a noite toda; se eu não pareço a mesma de um mês atrás, se não te dou mais a atenção que dava um mês atrás, é porque não sou mais a mesma de um mês atrás. se eu não estou te convidando pra vir até a minha casa, tomar vinho e se enfiar comigo embaixo das cobertas é porque eu não estou querendo a sua companhia. se parei de dizer que queria você na minha cama rolando comigo a noite inteira é porque eu já não faço mais questão de sentir seu peso sobre mim. se nossas conversas já não são mais sobre nossos fabulosos desempenhos, sobre como eu adoro quando puxa meu cabelo, a lingerie que você adora me ver vestindo ou sobre o que irá acontecer quando você estiver aqui, vai ver é porque nada disso mais tem importância...

hoje consigo fazer com você o que fez comigo esse tempo todo, consigo sentir por você o que você demonstrou ao longo desse ano... agora sou eu quem não se importa, quem não liga, não manda mensagem; quem não sente, quem não faz questão, não convida; não pede por companhia, nem por atenção.

quem sabe agora a gente possa brincar de maneira que ambos se divirtam, e que, quando um descer da gangorra, o outro não dê com a bunda no chão!

quinta-feira, 19 de junho de 2008

.agradecendo
.começando
.mudando
.repaginando
.apagando
.inventando
.esquecendo
.permitindo
.encarando
.desejando
.buscando
.crendo

Meu lema é: "Não há nada bom que não possa melhorar". Sou uma otimista convicta. E minha fé nunca me abandonou. Coloquei um champanhe no gelo. Esse ato, para mim, é quase um ritual. Para favoráveis e desfavoráveis momentos. Quando as coisas não estão saindo como espero, o estampido da rolha detona um recomeço: a maré de azar que fique pra trás. E se, ao contrário, tudo vai de vento em popa, um brinde se faz sagrado. Experimente. Fazer da vida uma festa dá outro sabor à existência.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

“Cada caminho é apenas um entre milhões de caminhos, não esqueça. Se você acha que não deve segui-lo, não precisa ir adiante. O fato de abandoná-lo não pode agredir você, nem pode ofender ninguém”.
(Carlos Castañeda)


Os caminhos são iguais: todos os caminhos são iguais, e levam a lugar nenhum. Portanto, o guerreiro escolhe um caminho que tenha vida própria, e a partir do momento em que começa a percorrê-lo, ele se alegra e se transforma no próprio caminho; sua decisão de continuar nele apenas depende da alegria e não da sua ambição ou do seu medo. Portanto, sempre antes de agir, ele pergunta a si mesmo: “este caminho tem um coração”?

(Carlos Castañeda)

terça-feira, 17 de junho de 2008


"Você vive hoje uma vida que gostaria de viver por toda a eternidade?"
(Friedrich Nietzsche)


quinta-feira, 12 de junho de 2008

IDENTIDADE


-em alguma época da minha vida já fui (muito!) mais impaciente (pasmem!)
-adoro estudar, embora não o faça com freqüência
-tenho horror a frio, mas adoro chuva
-sou apaixonada por edredom, não largo deles nem no verão
-detesto meu lado pessimista
-amo vermelho
-ainda tomo banho de chuva com a minha irmã
-não gosto de falar sobre meus problemas pro meu pai, menos ainda pra minha mãe
-falo comigo mesma - ultimamente todo dia
-agradeço a Deus toda noite pelo dia que se encerra
-não freqüento Igreja
-quando estou com dor de cotovelo ouço umas músicas terrivelmente deprimentes
-choro muito quando estou na tpm
-tenho paixão pela minha cama
-tenho horror ao fato de não ter um carro só pra mim
-as vezes me assusto por estar tão bem sem um namorado
-já falei SIM querendo dizer NÃO - e até mesmo querendo dizer NUNCA!
-prefiro me arrepender do que faço
-dificilmente você vai me ouvir recusando uma boa bebida ou um chocolate, mas com certeza você me ouvirá dizendo NÃO pra pessoas sem o mínimo de bom senso
-já fiquei com caras comprometidos, já levei o "caso" adiante por algum tempo, mas graças ao meu mínimo bom senso e amor próprio dei o fora antes que fosse tarde demais
-vivi o fim de um namoro 5 anos após ele ter terminado
-algum dia me perdi nos meus sonhos e deixei vários deles para trás
-passei a enxergar todos de outra maneira, depois de quase perder várias pessoas por não aceitar que cada um é cada um
-nem eu mesma me aguento na tpm
-de vez em quando queria umas férias de mim mesma
-depois de sair de casa percebi o QUANTO amo minha irmã mais nova e tudo ela representa na minha vida
-ultimamente tenho aprendido com os erros dos outros e não com os meus - confesso que estou adorando isso!
-sou inconstante demais, principalmente nos relacionamentos
-ao contrário do que meu pai pensa, criei juízo
-tenho síndrome de comer compulsivo, mas não me culpo por isso
-comecei a fazer uma limpeza emocional - tô jogando fora tudo (e todos!) que não me faz bem
-não dispenso pelo menos duas xícaras de café por dia
-adoro cozinhar pra mim mesma, embora pouco o faça
-passei a seguir mais a minha intuição - embora as vezes ela me cause certos problemas emocionais
-preciso - mas não quero - parar de comer chocolate
-tenho horror a ir ao médico, só vou quando estou a beira da morte
-faço terapia uma vez por semana
-tenho um caderno onde anoto afazeres, provas e e-mails
-tenho outro caderno onde anoto frases/músicas que gosto
-detesto ter que usar aerolin, mesmo sabendo que sem ele posso morrer

continua...

segunda-feira, 9 de junho de 2008


já faz um tempo que deixou de ser legal. a nossa história pode estar chegando ao fim! não tenho mais razão pra continuar. levar adiante pra depois se arrepender... teremos coisas boas pra contar, mas hoje não vai dar pra ser!

domingo, 8 de junho de 2008

a paz dura até o momento em que o celular toca, numa quinta-feira, as 19:00, e do outro lado alguém fala: "eu quero te ver, estou com saudade."

ela queria ligar pra ele dizer "não me procure nunca mais" com certeza absoluta de que não se arrependeria por isso depois... poder passar por ele e não sentir o coração disparar em seu peito
não ter o número dele gravado na primeira ligação efetuada e recebida todos os dias em seu celular... não se importar mais com ele... se está bem ou continua cometendo as mesmas mancadas do passado... queria não precisar de tudo aquilo que ele fazia por ela até semana passada... poder ouvir coldplay e não lembrar dele.
ela queria, mais do que tudo, não pensar mais nele, não querer falar, apagar da memória qualquer lembrança do passado... seguir a vida como se tudo aquilo não estivesse acontecendo...
dizem que o tempo cura, mas no caso dela está levando tempo demais pra curar, e ela já não sabe mais o que fazer... precisa, de uma vez por todas, seguir enfrente, quebrar vínculos e deixar o passado para trás.. antes que seja tarde demais para ser feliz com outro alguém...


enquanto o pensamento persiste e as lembranças encomodam, ela vai levando dia após dia sem deixar a cabeça baixar, por mais que para isso seja preciso negar para si mesma alguns fatos.... quem sabe o tempo esteja começando a botar as coisas no seu devido lugar.
ela prefere acreditar que isso é coisa passageira, tpm quem sabe... ou a maldita carência domingueira...


ela pelo menos (?) sabe o que quer, e se é verdade que devemos querer para ter, acabara de apostar todas suas fichas nesse querer, sem se importar com o preço a ser pago.
dali em diante sabia que tudo seria diferente, não permitiria que mais nada daquilo fizesse tanto barulho em sua vida.. afinal, o que passou, passou(!), quer você queira, ou não... e ela já havia aprendido essa lição no semestre passado...

quarta-feira, 4 de junho de 2008


enfim(!) paz.

OBRIGADA

Do livro "O Caminho da nobreza Sufi":


“Receba aquele que o procura, e não corra atrás de quem o rejeita. Desta maneira, você estará criando um laço de harmonia com o seu semelhante”.


“Um noviço não deve ser expulso por causa de suas faltas. Quando alguém está fazendo um esforço para melhorar, isto deve ser apreciado e honrado por todos”.


“Um estranho não deve ser aceito por causa de suas qualidades. Quando vemos alguém muito ansioso para mostrar como é bom e compreensivo, precisamos testá-lo com severidade. Porque ele busca aplauso para seus gestos, e pode ter perdido a humildade”.


“Vá sempre além das aparências. Escute. Veja. E confie em suas impressões”.







retirado de http://colunas.g1.com.br/paulocoelho/