segunda-feira, 30 de junho de 2008

agradecendo


pela família sempre presente

pelos amigos, poucos e sinceros
pelas oportunidades nem sempre agarradas
pelos sinais, que por menor que sejam, evitam grandes estragos
pelos cuidados
pelo colo
pela mão que segura firme quando sinto que vou cair
pela mão que segura a minha quando deito me sentindo triste
porque - apesar das crises - estou em paz
pela "faxina" realizada na minha vida
por ter somente quem realmente importa
pelo que me faz bem
e também pelo que faz mal, mas que ao mesmo tempo me faz crescer
pelo erro, inevitável e necessário
por saber conviver comigo mesma
pelo sábio silêncio
por guiar meu caminho e o das pessoas que amo
pelas pessoas que amo
por mostrar-me, da forma mais linda, que eu estava enganada comigo mesma quanto ao meu "anjo"
por aqui dentro estar tudo calmo, enquanto lá fora está tudo revirado.


Nenhum comentário: