sábado, 6 de setembro de 2008

Confusão


não sei se as coisas acontecem como eram para acontecer, sei que elas acontecem porque eram pra acontecer.
nada, simplismente nada, acontece sem algum motivo; e simplismente nada que pareça sem pé nem cabeça fica sem explicação.
as coisas que aconteceram há anos e que pareciam que não iam dar em nada, que simplismente não passaram de "nada" voltam a acontecer algum tempo depois, não importa se pouco ou muito tempo depois, mas elas voltam a acontecer, simplismente porque eram pra acontecer; por mais que na primeira vez não tenha significado nada, que tudo tenha sido meio sem querer, mais tarde isso volta pra sua vida pra que você confirme que nada é por acaso, e ainda que nada começa e termina assim, sem razão e emoção.
é aí que você pensa em como a vida é engraçada, antigamente não passava de nada, hoje tudo faz sentido; se naquela época ficou confuso porque parecia tão sem graça, hoje tudo tem um gosto tão doce que até parece mentira.
vai ver foi por isso que daquela vez as coisas não aconteceram como deveriam(?) acontecer, por isso foi tudo tão sei lá, sem sal, porque aquela não seria a primeira e a última vez - e no fundo, de alguma maneira, você já sabia disso!

Nenhum comentário: