terça-feira, 28 de outubro de 2008




o tempo passa muito rápido, só a dor permanece... mas é pra sempre, esteja onde estiver.
eu quero
eu tenho
eu busco
eu conquisto
eu sonho
eu alimento
eu espero
eu anseio
eu acredito
eu invisto
.
.
... é aí que tudo foge do controle
e o desconcerto toma conta.
"Não disperse o foco na multidão, vá em busca de quem você realmente quer.
é hora de ouvir a voz interior e não dar muita bola para o que pensa a maioria."
.
;)

sexta-feira, 17 de outubro de 2008


tenho tentado não criar expectativas demais, não quero que o gosto amanhã seja de (mais uma) decepção; mas não consigo, é simplesmente impossível, quando se trata de mim, evitar as expectativas e não sonhar alto. os riscos são enormes, eu sei, posso me frustrar ao perceber que não era tudo aquilo, me decepcionar quando cair na rotina e não houver mais graça em brincar dessa maneira. mas... e daí? nos últimos tempos deixei de viver muita coisa pelo medo idiota do depois. eu tô feliz, tô rindo a toa, acho graça de tudo e ainda saio aplaudindo o destino estupidamente engraçado das coisas que acontecem comigo. eu não tô comparando, não tô ficando maluca ao perceber que algumas coisas são exatamente como eu sempre quiz que fossem, não vou plantar nada onde não há espaço suficiente para nascer e ser belo, nem muito menos vou me deixar iludir pela capa cor-de-rosa que costumo colocar sobre todas as pessoas; sonho alto demais, faço planos que podem não se realizar, imagino tudo conforme o meu desejo; mas não tenho medo, por mais que eu tente criar algum medo, não consigo, não dá... tudo foi desejado demais para agora um medo idiota estragar as coisas. e é o grande ponto de interrogação a que tudo se resume que torna as coisas mais interessantes.

domingo, 12 de outubro de 2008

Tenho andado distraído, impaciente e indeciso,

e ainda estou confuso.

só que agora é diferente:

estou tão tranqüilo e tão contente.

DELICIOSA SURPRESA
.
.
.
o que era pra ser coisa apenas de uma noite ou algumas horas, virou rotina com hora marcada apenas para começar. as gracinhas dele se tornavam cada dia mais gostosas de ouvir e a forma com a qual ele a deixava envergonhada ao falar de seus desejos fazia com que ela adorasse ainda mais a sua companhia. aquele seu jeito meio homem decidido, meio menino levado fazia com que ela enlouquecesse ao pensar nos momentos juntos, e o tornava ainda mais interessante e encantador.
ela adora o modo com o qual ele fala sobre si mesmo, sobre eles, sobre ela. seu sorriso a encanta e sua boca a desconcerta. sabe exatamente o que fazer e quando fazer. somente suas palavras já a fazem perder o rumo, e aí somente ele para ordenar as coisas daquela maneira única que até hoje nenhum outro soube fazer. tudo nele a faz perder a cabeça, desde a conversa sobre o tempo cheia de provocações, até as lembranças dos deliciosos momentos juntos, que fazem com que comecem tudo denovo. cada beijo, cada toque, cada suspiro, tudo(!) é tão perfeito que parece ter sido ensaiado para que não houvesse qualquer erro ou descompasso. o que faz com que ela sinta um desejo enorme de tê-lo por perto a todo momento; ouvir sua voz, sentir seu cheiro, seu toque, seu gosto, tornou-se parte dela; é impossível resistir à ele, o mínimo toque ou palavra ao ouvido a faz estremecer e desejar coisas que antes lhe pareciam impossíveis de acontecer. juntos fazem tudo acontecer de uma forma única que parece cheio de encanto. seus desejos tomam conta um do outro, fazendo com que nada mais importe, com que esqueçam do que acontece quando não estão entrelaçados. não há medo, receio ou preocupação. eles sabem que são, um para o outro, a novidade mais gostosa que já lhes aconteceu.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

é estranho
mas é bom
é engraçado
mas é sincero
não há medo
não há receio
faz muito bem
diverte
engrandece
faz feliz
desperta
também envergonha
mas tem gosto doce
de novo
desconhecido
sede
desejo sem pudor
tudo fica pra depois
loucura
sem razão
mas tão gostoso.