quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

sábias palavras de Meredith Grey

“A Julieta era uma idiota. Porque ela se apaixona por aquele cara que ela sabe que não pode ter… Todo mundo acha isso tão romântico: Romeu e Julieta, amor verdadeiro… que triste. Se Julieta foi burra o bastante para se apaixonar pelo inimigo, beber uma garrafa de veneno e ir repousar num mausoléu, então ela teve o que merecia”
eu queria que ele soubesse que já não signifca mais o que significava antes - e isso faz tempo!
as coisas mudam, por mais que ele não queira aceitar isso, aceitar que perdeu, que acabou! ponto final!
cada um seguiu sua vida, por mais que entre idas e vindas tenham acontecido alguns "remembers"... mas foi SÓ isso (!) mesmo a teimosia ou a esperança insistam em discordar...
e hoje não adianta dar pití, dizer que era feliz e não sabia, que se tivesse aqui comigo hoje seria feliz, que se arrepende por não ter dado valor, que achava que não ia me perder...
porque PERDEU, não deu valor, perdeu! chega de tanta idiotisse, tanta cara de pau; chega de brigar com a família e mandar mensagem se lamentando pelo que passou e não volta mais; de achar que acredito nas tuas palavras furadas, em arrependimento que dura meia vida...
eu cansei, to de saco cheio de lamento de ex... de maaais mentiras, enrolações e fingimento...
eu to feliz e não largo disso por nada... muito menos por um passado frustrado.
PELOAMORDEDEUSVÊSEMEERRA!
.
.
.
.

Não quero mais nada que não seja de verdade.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

"In life only one thing is certain, apart from death and taxes: No matter how hard you try, no matter how good your intentions, you are going to make mistake. You are going to hurt people. You are going to get hurt."

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES
.
.
eu tô de volta à minha casa
convivendo bem comigo mesma
com saudade das amigas
com saudade da família
saco cheio de ex namorado
feliz pelas pessoas novas
mais feliz ainda porque o "piazinho" não foi feito
tô tentando começar meu TCC
com medo dos estágios
com TPM - morrendo de cólica
mal por causa de um babaca
com saudade do Thiago... 6 meses ;~~
tentando entender porque certas coisas aconteceram...
cabeça a mil
sem sono
só vontade de chorar.

sábado, 24 de janeiro de 2009

"Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido, mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca, te chama de nomes que eu não escreveria, não te vira com delicadeza, não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar, sem querer apresentar pra mãe, sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo. Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral, te amolece o gingado, te molha o instinto. Dar porque a vida de uma publicitária em começo de carreira é estressante e dar relaxa. Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã. Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para as mais desavisadas, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazia.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro. É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir. É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que cê acha amor?".
Dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor, esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua.
Se você for chata, suas amigas perdoam. Se você for brava, suas amigas perdoam. Até se você for magra, as suas amigas perdoam.Mas... experimente ser amada."
.
.
Luís Fernando Veríssimo

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

a gente se engana... aaah como a gente se engana!!
nem tanto com os outros, mas com a gente mesmo.
faz de conta que nada é como é, que pode ser diferente se a gente acreditar (?)
faz de conta que não percebeu que o prazo de validade já estourou há muito tempo atrás.
que é tudo coisa de momento.
até que a vida dá um jeito mais duro de te mostrar que as coisas não são bem assim...
você vê coisas que não imaginava que veria, que não queria ver; sente coisas que não imaginou que sentiria diante dessa situação. descobre outras piores ainda, e que, em algum momento pensou que era pura imaginação fértil; doce engano!
a realidade bate à porta e entra sem pedir licensa, te esmagando sem pena alguma, até mesmo porque pena nessa altura do campeonato, só aquela que sente de si mesmo.
E quando eu estiver
Triste
Simplesmente
Me abrace

Quando eu estiver
Louco
Subitamente
Se afaste

Quando eu estiver
Fogo
Suavemente
Se encaixe

E quando eu estiver
Bobo
Sutilmente
Disfarce

Mas quando eu estiver
Morto
Suplico que não me mate não
Dentro de ti

Mesmo que o mundo
Acabe enfim
Dentro de tudo
Que cabe em ti
(Skank - Sutilmente)

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

sobre as férias...

metade de Janeiro de 2009 e estas estão sendo, de longe, as piores férias da minha humilde vidinha.
o Natal e Reveillon por si só já foram uns desastres... família divida, família brigando, amigos que foram cada um pro seu lado... e no meio de tudo fiquei eu e o que restou disso tudo - pai e mãe brigados, irmã enxendo o saco, amigos uns com ciúmes dos outros porque eu não pude me dividir em 2 ou 3 pra poder sair com todos...

e depois ainda ficou pior! quem se achava "dono" da minha vida, mostrou que de mim não merece nem desprezo; meu pai e minha mãe quebraram o pau de uma forma que eu senti vontade de largar uma bomba na cabeça de cada um; minha irmã reclama do namorado e não faz nada pra mudar a situação - e eu aguento os chororôs; devo ter engordado uns 3 kgs porque minha irmã e minha mãe efetivamente não sabem ser pessoas saudáveis e eu entro de gaiato na história; me enfiei em mais uma roubada sentimental com direito a um ex que ressuscita, amigo de ex que se apaixona e outro ex com dor de cotovelo.
isso sem contar o calor horrendo, a falta do que fazer, a saudade da praia, da minha cama, da sacada do apê, da falta de pegação no pé e outras cocitas más...

o que ainda me mantém animada é o fato de faltarem 6 dias pra isso tudo acabar.
"Ela disse que não tinha certeza de nada, que podia mesmo ser uma alucinação, um pesadelo, uma projeção subconsciente ou qualquer outra coisa assim. Enumerou suposições, os olhos preocupados evitando os meus, e disse também que preferia não contar, que sabia que eu ficaria preocupado e iria falar com ele, que talvez fosse agressivo e negasse tudo, ainda que o que ela havia visto e escutado fosse verdade."
-Caio F. Abreu-

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009


sem planos
sem medo
com vontade
eu vou seguindo o que sinto

"O resto é sensibilidade ferida, é insatisfação, é absoluta insegurança quanto ao futuro, é incompreensão do presente, é indecisão quanto aos próprios sentimentos. Estou ficando cínica e sem pudor. Que me interessa que isso se suceda a outras mulheres? O que para umas é condição da própria feminilidade, noutras é a morte desta e de tudo o que é mais delicado. Sei que eu mesma não presto. Mas eu te digo: eu nasci para não me submeter; e se houver essa palavra, para submeter os outros."

-Clarice Lispector-

gosto porque é assim todo errado, sem compromisso ou coisa marcada, foge de qualquer conceito, de qualquer acerto. é briguento, atrapalha, faz barulho, enxe o meu saco, me irrita - e é por isso que eu adoro... faz falta quando tá longe, e quando está perto ai ai ai é um estrago só!encara de frente independente do que seja, fala as coisas mais erradas nos momentos mais oportunos e desmonta minha cara de mandona com uma mordida... é chingamento, declaração, suspiros, loucuras, crises, promessas e as maiores falcatruas apenas numa noite...ninguém é de ninguém por mais que a gente tente, acabamos sempre por nos perder! de tão errados, somos completos... brigamos mais do que qualquer coisa, mas não deixamos de nos telefonar todo dia, de falar sempre as mesmas coisas todos os dias, de brigarmos pelos mesmos motivos todos os dias... por mais que pareça tudo igual, nada se compara as nossas caras de tontos quando estamos juntos, às palhaçadas sempre ditas, aos sarros um do outro, pegação no pé, ceninhas de ciúme, à vontade que um dá no outro e o que rola depois... o meu problema acaba por ser sempre o de estender as coisas por tempo demais, diria minha terapeuta... mas e daí? ele me irrita mas da conta direitinho do recado, não vejo porque não estender a relação por mais algum tempo.