sábado, 28 de fevereiro de 2009

gastei muito tempo tentando entender certas coisas, gastei mais tempo ainda resolvendo problemas que pareciam não ter solução; me manti quieta em situações onde a saída mais racional exigia o mínimo de discussão, de tomada de atitude; e gritei quando deveria calar. torci o nariz pras coisas que já haviam perdido o sentido e aceitei, sem saber como, as que perdi pela indiferença.
em algum momento do passado achei que muita coisa não teria solução e que várias outras já estavam resolvidas, então deixei tudo pra trás e segui por aí; tamanha foi a surpresa quando tudo que parecia solucionado bateu a minha porta exigindo uma atitude e um ponto final. assim foi e assim é até hoje, todos os "pontos finais" que não dei retornam sem pedir licensa e esfregam na minha cara que existiram e agora cobram uma solução.
já aprendi a contornar muitas situações, a resolver comigo mesma os tropeços, mas certas coisas até hoje não consigo entender e, sinceramente, não sei até que ponto faço questão; creio que só quem faz - ou quem é dessa ou daquela maneira - sabe como as coisas funcionam, e se for assim mesmo, então confirma aí que eu não faço questão alguma de saber.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

esse mês de convívio comigo mesma trouxe, além de dias e noites de ócio criativo, de volta muitas coisas que perdi ao longo do tempo e que me faziam muita falta; recuperei os sonhos, o amor próprio que em algum momento alguém levou embora, o interesse pelo que é certo pra mim, a vontade de mais...
percebi muitas coisas sobre a minha vida, que talvez por causa dos "tumultos" dos últimos tempos, acabei ficando cega e deixando para trás.
entendi como as coisas funcionam comigo.
notei que tenho um lado "dona-de-casa-preocupada" que eu não sabia que tinha.
que mudanças fazem muito bem pro ego.
busquei explicação pra cada coisa que ainda me encomodava, e assim que achei consegui fazer as pazes comigo mesma; me livrei de culpas que não são minhas.
constatei algo que eu já sabia há muito tempo - as vezes o melhor a ser feito é ignorar!
aprendi que devo fazer o máximo que puder pra manter quem amo por perto, a menos que essa pessoa não mereça isso - aliás, falta de consideração continua sendo a coisa mais medíocre que alguém pode fazer por mim.
percebi quantas vezes a mentira passou despercebida pelos meus olhos por acreditar demais nas pessoas.
tenho cada dia mais claro o que quero e, principalmente, o que não quero pra minha vida.
percebi que preciso mudar a minha opinião sobre relacionamentos.
percebi ainda que me preocupo demais com coisas que não merecem tanto gasto de energia.
confirmei que tudo que eu precisava era de um tempo pra mim mesma, meus livros, meu pc, minhas músicas, minha cama e a praia...
e tem tantas outras coisas mais que já nem lembro...
essas férias foram as mais calmas e as mais proveitosas dos últimos tempos... graças a Deus!
Por amor ou besteira foi que ela disse pra mim.
Aí eu disse, me interessa, cheio de boa intenção e disposição a bessa.

Que coisa boa aquele beijo na boca,
Eu fiquei louco e sei que você também ficou louca.
Foi uma noite especial pra gente;
Foi bom pro coração e alimentou a mente.
Não acredito que alguém sinta por você o que eu sinto agora,
Vamo simbora, vai por mim.
Balanço de amor é assim,
Agora ela fala todo dia pra mim no pé do ouvido.


(trechos de Marcelo D2 - Ela)

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

na tpm, sozinha, com saudade de casa e de várias outras pessoas, cansada- muito cansada - de dizer palavras sinceras que mesmo assim foram duvidadas, não acreditadas ou simplesmente jogadas no lixo; por ter que entender, enquanto na primeira oportunidade "alguém" lança um punhal em minha costas sem se importar com a profundidade do buraco, e sorrir depois do estrago, sem dor na consciência; de amar superficialmente simplesmente por achar que o cara é legal, de amar quando se esta longe, e, quando perto não sentir nada; de perdoar setenta vezes a cada tapa que levo, e a cada perdão na próxima levar um soco na boca do estômago;
cansada do afastamento de amigas que eu adorava e que pensava que sentiam o mesmo por mim; de engolir sapo; de continuar achando que muita coisa não vale a pena.... meu estômago dói, eu já devorei uns 3 kgs de comida na última hora pra tentar "abafar" meu nervosismo e a raiva que eu tenho sentido de mim mesma por ficar calada e "deixar pra lá" o que deveria ter sido discutido... e de tantas outras coisas mais...
.
.
.
"Estou cansada. Vazia. Desgastada, o coração desgasta de sofrer, sei disso."
(Lya Luft)

domingo, 15 de fevereiro de 2009

(...) não esqueça das seguintes verdades:
Não faça nada que não te deixe em paz consigo mesma;
Cuidado com o que anda desabafando;
Conte até três (tá certo, se precisar, conte mais);
Antes só do que muito acompanhado;
Esperar não significa inércia, muito menos desinteresse;
Renunciar não quer dizer que não ame;
Abrir mão não quer dizer que não queira;
O tempo ensina, mas não cura.

(Martha Medeiros)

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

O acaso acontece sem avisar.
Sendo assim, viva cada dia intensamente, como se fosse o último.
A vida é curta demais para acordar de manhã com problemas,
preocupações e mágoas desnecessárias.
Então seja gentil com as pessoas que te tratam bem,
perdoe as que não o fazem, e acredite que tudo acontece por algum motivo.
Se aparecer alguma oportunidade na sua frente, aproveite-a.
Se ela mudar a a sua vida, aceite..
Ninguém nunca disse que a vida seria fácil.
Somente que ela valeria à pena.
"Se queres ser feliz amanhã, tenta hoje mesmo."

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

mantendo o hábito de ler alguns blogs/sites por dia, eis que vou ao Manual do cafajeste e após ler o resultado da promoção chamada "um cafa em minha vida" desando no choro pelo fato de uma história ser muito parecida - e o nome fictício do cafa em questão ser o do cafa da minha vida - e ter tido o mesmo fim que a minha...
depois de chorar juntei fotos, lembranças, histórias e foi inevitável o riso em meio as lágrimas... vários foram os cafas que já passaram pela minha vida de apenas 21 anos, mas sem dúvidas o melhor cafa da minha vida foi ele, o que tinha tudo de melhor - não fosse o fato de trazer consigo uma namorada pendurada no pescoço!
as coisas tiveram início muito antes do meu namoro ter fim, ele sempre foi o cara-de-pau mais cara-de-pau de todos, o fato de ter o namorado junto comigo não o intimidava pra falar das pernas, do comprimento da saia, do decote e do resto; seeempre com aquela cara (linda!) de sem vergonha... com o fim do meu namoro as coisas ficaram mais acessíveis e eis que alguns meses depois o que parecia impossível (sim porque até então eu não queria) de acontecer, aconteceu! investidas a parte, foi numa sexta-feira embalado pelo álcool que o bentido me beija na saída do banheiro no barzinho onde estávamos (eu com as amigas e ele com a namorada, que não viu nada); no dia seguinte o telefone de casa toca e adivinha quem era? ele! na maior cara-de-pau-sem-vergonha dizendo que queria mais, que aquele "beijinho" da noite anterior não tinha matado a vontade - eu, é claro, estava adorando aquilo tudo, ele falava tudo que eu queria ouvir e eu poderia ficar com um amigo do meu ex namorado que havia me traído (coisa idiota é claro, mas eu tinha 17 anos, era uma traída em busca de vingança) - com ar de inocência falei que minha mãe e irmã haviam saído sem hora pra voltar, foi o suficiente pra ouvir "to indo pra casa tomar banho e vou aí"; ouço o som alto de um carro, era ele, tempo depois lindo, cheiroso e morrendo de vontade de me atacar no sofá da sala, o que lhe fez sair frustrado da minha casa, pois não passamos dos beijos e amassos...
dias depois, saí com um casal de amigos para jantar e "quase que por coincidência" vamos ao mesmo lugar onde ele estava jantando com o pai e alguns amigos (nesse dia ele havia terminado com a namorada), eu arrependida pelo que havia deixado de fazer, tratei de fazer com que soubesse das minhas intenções com ele praquela noite... - dias depois ele voltou com a namorada e eu me incomodei muito quando ela descobriu, no início usei a tática do "não sei, não conheço, nunca vi"; mas quando o incômodo chegou ao auge gritei "te vira que a namorada é tua" e soltei o verbo pra ela.
o fato dela saber não mudou nada, ela sabia do cafa que tinha do lado melhor do que ninguém, e eu, bem, eu estava me divertindo e fazendo feliz sem culpa alguma porque eu estava feliz...
e assim de encontro a encontro, ligação, visitas inesperadas, váárias besteiras ditas, conversas sérias, sexo nos lugares mais inusitados, propostas tão indecentes que não sei de onde vinham, o usar-e-ser-usada mais gostoso da minha vida se passaram 3 anos de cafagestagem...
não sei dizer qual dos dois era o mais cafa em certas alturas, com ele o meu lado mais despudorado e ninfomaníaco se aflorava, era impossível vê-lo e não querer saltar em cima dele, ouvir a voz no telefone e negar o que quer que fosse, dizer não quando passava e dizia "tu vai dormir lá em casa", não adiantava tentar fugir quando puxava contra a parede nos lugares maaais insólitos, muito menos quando chegava sem avisar dizendo que "queria dar uma voltinha"... foram 3 anos de tudo que eu poderia querer, e mais ainda, de tudo que eu quis dele; alguém pra conversar, ligar, ter sexo a hora que pudesse, onde quisesse, sem ter que dar explicações a ninguém; alguém com quem eu podia ser eu mesma, falar besteira, dar risada, sem me preocupar com o que iria pensar, porque era como eu; estávamos ali pelo mesmo propósito, ambos precisávamos da companhia um do outro as vezes, eram os poucos momentos onde não existia mais nada além de nós dois... ótimos momentos de nós dois.
esse foi, sem dúvida, o maior e o MELHOR cafa da minha vida.
te tenho sempre comigo no coração... e a saudade continua doendo.
porque eu já disse uma vez aqui e torno a dizer...

Prefiro o desprezo sincero de quem me odeia ao sorriso terno de quem finge me amar

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

mais uma vez Meredith Grey
.
.
"O desejo pode ferrar com a sua vida."
.
.
.
ainda não ferrou, mas se continuar dessa maneira
ai ai ai não demora muito pra fo%*# tudo de vez...
(literalmente!!)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

“Não peça que tudo na vida siga o caminho de sua vontade. Reze para que as coisas aconteçam como elas precisam acontecer - e verá que tudo é muito melhor do que estava esperando”.
-Paulo Coelho-
.
.
qualquer semelhança com a minha vida é mera coincidência