quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

mantendo o hábito de ler alguns blogs/sites por dia, eis que vou ao Manual do cafajeste e após ler o resultado da promoção chamada "um cafa em minha vida" desando no choro pelo fato de uma história ser muito parecida - e o nome fictício do cafa em questão ser o do cafa da minha vida - e ter tido o mesmo fim que a minha...
depois de chorar juntei fotos, lembranças, histórias e foi inevitável o riso em meio as lágrimas... vários foram os cafas que já passaram pela minha vida de apenas 21 anos, mas sem dúvidas o melhor cafa da minha vida foi ele, o que tinha tudo de melhor - não fosse o fato de trazer consigo uma namorada pendurada no pescoço!
as coisas tiveram início muito antes do meu namoro ter fim, ele sempre foi o cara-de-pau mais cara-de-pau de todos, o fato de ter o namorado junto comigo não o intimidava pra falar das pernas, do comprimento da saia, do decote e do resto; seeempre com aquela cara (linda!) de sem vergonha... com o fim do meu namoro as coisas ficaram mais acessíveis e eis que alguns meses depois o que parecia impossível (sim porque até então eu não queria) de acontecer, aconteceu! investidas a parte, foi numa sexta-feira embalado pelo álcool que o bentido me beija na saída do banheiro no barzinho onde estávamos (eu com as amigas e ele com a namorada, que não viu nada); no dia seguinte o telefone de casa toca e adivinha quem era? ele! na maior cara-de-pau-sem-vergonha dizendo que queria mais, que aquele "beijinho" da noite anterior não tinha matado a vontade - eu, é claro, estava adorando aquilo tudo, ele falava tudo que eu queria ouvir e eu poderia ficar com um amigo do meu ex namorado que havia me traído (coisa idiota é claro, mas eu tinha 17 anos, era uma traída em busca de vingança) - com ar de inocência falei que minha mãe e irmã haviam saído sem hora pra voltar, foi o suficiente pra ouvir "to indo pra casa tomar banho e vou aí"; ouço o som alto de um carro, era ele, tempo depois lindo, cheiroso e morrendo de vontade de me atacar no sofá da sala, o que lhe fez sair frustrado da minha casa, pois não passamos dos beijos e amassos...
dias depois, saí com um casal de amigos para jantar e "quase que por coincidência" vamos ao mesmo lugar onde ele estava jantando com o pai e alguns amigos (nesse dia ele havia terminado com a namorada), eu arrependida pelo que havia deixado de fazer, tratei de fazer com que soubesse das minhas intenções com ele praquela noite... - dias depois ele voltou com a namorada e eu me incomodei muito quando ela descobriu, no início usei a tática do "não sei, não conheço, nunca vi"; mas quando o incômodo chegou ao auge gritei "te vira que a namorada é tua" e soltei o verbo pra ela.
o fato dela saber não mudou nada, ela sabia do cafa que tinha do lado melhor do que ninguém, e eu, bem, eu estava me divertindo e fazendo feliz sem culpa alguma porque eu estava feliz...
e assim de encontro a encontro, ligação, visitas inesperadas, váárias besteiras ditas, conversas sérias, sexo nos lugares mais inusitados, propostas tão indecentes que não sei de onde vinham, o usar-e-ser-usada mais gostoso da minha vida se passaram 3 anos de cafagestagem...
não sei dizer qual dos dois era o mais cafa em certas alturas, com ele o meu lado mais despudorado e ninfomaníaco se aflorava, era impossível vê-lo e não querer saltar em cima dele, ouvir a voz no telefone e negar o que quer que fosse, dizer não quando passava e dizia "tu vai dormir lá em casa", não adiantava tentar fugir quando puxava contra a parede nos lugares maaais insólitos, muito menos quando chegava sem avisar dizendo que "queria dar uma voltinha"... foram 3 anos de tudo que eu poderia querer, e mais ainda, de tudo que eu quis dele; alguém pra conversar, ligar, ter sexo a hora que pudesse, onde quisesse, sem ter que dar explicações a ninguém; alguém com quem eu podia ser eu mesma, falar besteira, dar risada, sem me preocupar com o que iria pensar, porque era como eu; estávamos ali pelo mesmo propósito, ambos precisávamos da companhia um do outro as vezes, eram os poucos momentos onde não existia mais nada além de nós dois... ótimos momentos de nós dois.
esse foi, sem dúvida, o maior e o MELHOR cafa da minha vida.
te tenho sempre comigo no coração... e a saudade continua doendo.

Nenhum comentário: