quarta-feira, 29 de julho de 2009

a falta de vontade, aliada a de palavras tem feito com que eu fique longe daqui.
coisas pra escrever tem as pencas... as férias, os rolos, a família crescendo, o ex que não para de incomodar, o outro que se acha dono de algo que nunca teve, o amigo gato do ex que depois de anos querendo eu finalmente fiquei (e abandonei, eu definitivamente não dou certo com "homem" mimado), as longas conversas com as amigas sobre relacionamentos, o cara casado com o qual eu quase fiquei, os lanchinhos tirados da geladeira e um ciumento dando piti, as descobertas dos meus momentos de introspecção, a companhia perfeita de Caio F. nas últimas semanas.... enfim, assunto tem, falta vontade... deve ser porque, pela primeira vez, eu resolvi tirar férias de tudo.
e tá tão bom assim.. embora o começo tenha sido turbulento... as coisas começaram a se ajeitar.. e cada um dos acontecimentos trouxe algo de bom... por mais incrível que isso possa parecer.

sábado, 11 de julho de 2009

Por que você não disse que viria?
Logo agora que eu tinha me curado das feridas que você abriu quando se foi
Por que chegou sem avisar?
Eu queria tempo pra me preparar, com a roupa limpa, a casa em ordem e um sorriso falso pra enganar
Eu não entendo a sua volta, eu não entendo a sua indecisão
Num dia sou o seu grande amor, no outro dia não
Por que a surpresa da sua volta?
Justo quando eu tento vida nova, você vem pra perguntar se tudo que eu sentia acabou
Você até parece um vício que largar é quase impossível, exige muito sacrifício
E quando eu me considerava limpo, vem você pra me oferecer mais, vem você pra me oferecer mais, mais, mais!
Eu não entendo a sua volta, eu não entendo a sua indecisão, num dia sou o seu grande amor, no outro dia não...
.
(Nenhum de Nós - Eu Não Entendo)
.
.
porque eu realmente não entendo!!

sábado, 4 de julho de 2009

as vezes eu queria entender o que é que me dá... bate uma insegurança, um medo de que tudo acabe sendo em vão.
e aí eu escrevo coisas absurdas, penso outras mais idiotas ainda. ajo como se não acreditasse em tudo que aconteceu, em tudo que já vivi e ouvi.
por mais que saiba, essa indiferença acaba afetando tudo, ou melhor, estragando tudo. e aí eu grito, bato o pé, reclamo e choro sozinha...
quero ver como serão as coisas nas próximas semanas.... quero tanto que tudo mude, que volte a ser como era, tenho medo do que pode vir a acontecer, do que eu posso ouvir, do que posso dizer.
vou, mais uma vez, dar a cara a tapa e esperar o melhor.
por favor, não me decepcione!



sexta-feira, 3 de julho de 2009