terça-feira, 22 de novembro de 2011

"quase dez anos depois eu consigo entender que eu tinha que continuar, fosse com ou sem você"
(1997- Hateen)


você pode passar anos negando, racionalizando, tentando disfarçar e se sabotando, mas uma hora a verdade vai exigir esclarecimentos; você vai se pegar em uma situação com apenas uma saída: encarar!
não vai ter pra onde correr...
e aí você vai falar as suas verdades, vai ouvir as alheias e vai perceber que apenas você, que teimava em fazer de conta que estava tudo bem, ainda não superou aquele fim... aí você vai perceber que tudo mudou, mas que você ainda precisa chorar aquelas lágrimas que engoliu há dez anos atrás...
e vai chorar, vai odiar, reclamar, se tornar insuportável perante seus melhores amigos, mas vai, enfim, passar por cima de todas aquelas coisas que te prendiam a um passado nada glorioso e se sentir livre!

sábado, 19 de novembro de 2011


"Eu sei como é se sentir extremamente pequena e insignificante e como isso dói em lugares que você nem sabia que tinha em você. E não importa quantos cortes de cabelo você faça, quantas vezes vá a academia ou quantas garrafas você toma com suas amigas, você continua indo pra cama todas as noites… repassando todos os detalhes e se perguntando o que fez de errado ou como pôde ter entendido errado... ou como por aquele momento pensou que era feliz? (...)"


(Trecho do filme "O Amor não tira férias")

terça-feira, 8 de novembro de 2011

“Não tenho nada a ver com o que é dos outros, seja roupa, gostos, opiniões. Não me escalo para histórias que não são minhas, não me envolvo com o que não me envolve, não tomo emprestado nem me empresto. Se é caso sério eu me dôo, se é bobagem eu me abstenho.”

(Martha Medeiros)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

"Você me pergunta se eu não tenho coração. Eu tenho. Tenho um coração vazio de ódio ou amor. Se você não consegue ouvi-lo é porque não faz ele bater."

Verônica Heiss
"Por tudo o que me deste:
inquietação,
cuidado,
um pouco de ternura,
noites de insônia pelas ruas como louca,
obrigada, obrigada."

(Florbela Espanca)

terça-feira, 18 de outubro de 2011

terça-feira, 11 de outubro de 2011

"(...) Eu me acostumei tanto em ser sozinha que já não sei mais ter alguém. Eu sempre resolvi toda minha dor por dentro, criei métodos de implodir o que me deixa mal. Não quero dividir. É tudo meu. Todo o meu podre é meu e ninguém mais leva. E não faz nada pra tentar me deixar feliz. Eu não quero estar feliz. Eu gosto de reclamar, de me conformar e dizer "tudo bem, eu sou assim". Não diz que eu fico linda assim. Não diz que se adapta ao meu jeito estranho de ser. Eu sei que eu sou chata, mas eu me suporto e me basto. Sozinha."

Verônica Heiss

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

preciso parar com essa mania de querer acreditar que as coisas podem ser diferentes; que as pessoas podem ser diferentes; que se pode esperar algo de alguém.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011


Discretamente, enviei sinais de socorro aos amigos. Ninguém ajudou. Me virei sozinho. Isso me endureceu um pouco mais. Não foi só você, não. Foram também pessoas até mais íntimas (…) me virei sozinho com enormes dificuldades. Não me lamuriei. Mas preciso que as pessoas saibam que isso doeu — exatamente porque algumas destas pessoas (…) importam para mim.

(Caio F. Abreu)

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

deve ser engraçado esse negócio de querer mais de uma pessoa, e mais engraçado e divertido ainda deve ser desejar alguém... sei que em algum momento senti isso, mas já não sei mais como é, como faz...

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

desabafo instantâneo

as pessoas nunca poderão entender o que se passa com a gente...
você demonstra sinceridade nas coisas que faz/fala e o que recebe são rótulos...
não falo nada por acaso, me conheço o suficientemente bem pra ao menos ter certeza das coisas que digo...
não jogo mais palavras ao vento, encaro meus medos, meus traumas, minhas feridas... escondo elas na medida do possível, mas jamais me permito ser desonesta por causa delas.
quando afirmo que sou feliz assim, um tanto quanto doida dolorida, é porque realmente sou!
se afirmo que sou feliz sem montar acampamento em lugar algum, é porque realmente sou feliz assim... ainda não aprendi a criar raízes, tenho necessidade de tudo novo a cada momento... é minha constante busca por não sei o que, mas que me faz feliz.
não espero que ninguém compreenda, só tô cansada de ser rotulada por quem julga me conhecer.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Alfândega


"Fazer as malas se tornou um hábito diário. A rotina de dizer adeus, o ensaio de deixar tudo para trás. Quantas vezes vou me despedir e compatilhar meus planos? Quantas vezes até chegar o dia de verdade?


Não consigo pertencer ou me adaptar. Falha minha. Meu único planejamento é não planejar. Porque o momento em que eu sei exatamente o que fazer ou onde ir é o mesmo momento em que tento, desesperadamante, fazer o oposto. Talvez eu apenas goste de contrariar e negar o que dizem ser certo. Talvez seja coisa de menina mimada que não aceita ordens e rótulos.


Eu tenho casa, mas não tenho lar. Não me permito ficar muito tempo por onde passo, estou sempre de passagem. Minha distância, que você percebe e julga ser frieza, é apenas um mecanismo de defesa contra o que virá depois. Já me acostumei à desilusão e sua argumentação em favor do mundo não vai ajudar. Estou desiludida de mim, dos meus impulsos, das minhas incapacidades, da minha falta de sentidos, não das outras pessoas. As outras pessoas cumprem direitinho com seu papel, se esforçando pra quebrar meu gelo, algumas gostando sinceramente de mim, apesar da falta de resposta. Sou cigana, sou estrangeira, sou de partida, nunca de chegada. Sou de começo e fim, não de durante.


Eu aceito que pessoas sejam apenas passageiras na minha vida, desde que elas não insistam em ser mais do que isso. Não posso ter o trabalho de me apegar e me despedir, porque também não sou mais do que mera alma a caminho de qualquer outro lugar. Não posso ser bagagem de ninguém. Estar presa na alfândega é um estado de espírito, não um capricho feminino."



(Verônica Heiss)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

depois da noite de hoje pude perceber como tenho uma alma do capeta, dura na queda e que só desiste do que realmente não quer... e confesso que fiquei até com uma pontinha de medo de mim mesma.

blog novo

bem... como algumas pessoas que passam por aqui sabem tenho amor³ pela Psicologia Jurídica, contudo ainda não tive condiçõe$ de fazer uma especialização...
dessa forma resolvi criar um blog pra publicar eventos, artigos, notícias e afins sobre o tema


o blog ainda está em construção, então não se espantem com a pobreza de informações por lá... qualquer crítica/ajuda será bem vinda.

beijos a todos e uma boa semana gelada.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011


Eu me acostumei tanto em ser sozinha que já não sei mais ter alguém.”

(Verônica Heiss)

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

eu não sei de onde vem, e menos ainda o motivo... já pensei muito, mas não consigo chegar a um consenso... as vezes penso que deve ser insatisfação, falta de motivação, ou até mesmo comodismo... não sei!
só sei que as vezes bate um desespero - que não compartilho com ninguém - e uma vontade imensa de sair correndo sem rumo pra ver se assim encontro o que procuro.
não sei se é o lugar, ou as pessoas, mas as vezes me parece que nada agrada e tudo fica ainda pior
perdida nos pensamentos e sentimentos
oh gosh! somebody save me!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

por que sempre que estou numa boa as pessoas resolvem me assustar com coisas como "adorei ficar com você...", "quando vamos nos ver de novo?"
ããiinn

sábado, 6 de agosto de 2011

andei um tempo perdida por aí sem saber ao certo onde me abrigar... andei percebendo muita coisa que me deixou confusa e chateada, desanimada comigo mesma... passei por coisas que imaginei que nunca mais passaria... chutei alguns paus de barracas e armei algumas confusões... no final me sobraram alguns planos e nenhuma certeza além da do que quero pra mim agora.
nunca fiz planos, mas também nunca deixei a vida me levar totalmente... hoje tenho metas mentais que vão de um a cinco, tomei consciência do que precisava e to partindo.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011


alguém sabe onde encontro uns 15 desses???
to precisando pra ver se dou jeito de calar umas bocas e manter um povo aí ocupado.

sexta-feira, 29 de julho de 2011



não, eu nunca fui exemplo de mulher segura, menos ainda de mulher assertiva; já errei muito, causei muita confusão e dei muito piti ao longo dos meus miserentos 24 anos... e foi assim que aprendi as poucas coisas que sei, dentre elas até onde vale a pena sonhar e se ridicularizar por um homem.
nos últimos tempos tenho vivenciado situações que me deixam perplexa ao perceber até que ponto a mulherada chega, e depois se acha no direito de espalhar aos sete ventos que "homem é tudo igual" e que "homem não presta".
gente, vamos encarar os fatos como eles realmente são e nos valorizar, peloamordedeus!
eu ando cansada demais desse bando de guriazinha que arruma encrenca em balada por causa de homem, que inventa histórinha pra se dar bem, que fica duas vezes com um cara e já fica jurando amor eterno e depois culpa o cara porque ele caiu fora sem dar notícias.
VAMOS ACORDAR "MULHERADA"!

Tumblr

como eu tenho vício de procurar fotos pela net e não quero fazer do blog um álbum de fotografias ou frases soltas, resolvi criar um tumblr

http://comeceiasentir.tumblr.com/


quinta-feira, 28 de julho de 2011

terça-feira, 26 de julho de 2011

mais um ano

... e a prova viva de que o tempo não cura NADA!
ele não te faz esquecer ninguém, muito menos ameniza a dor de ter perdido alguém.
saudade eterna Thiago.
‎"Sendo só sexo e nada mais, por que ofegar verdades ocultas no meu ouvido?
Por que de olhos bem fechados?"

(Gabito Nunes)

quinta-feira, 21 de julho de 2011

alguma vez na vida alguém aí já sentiu que não sabia lidar com o apego materno da própria mãe?? que não sabia lidar com a mãe que não aprendeu a cortar o cordão umbilical??

(aaff)

terça-feira, 19 de julho de 2011


Eu não sabia o porquê de estar ali depois de, sei lá, uns duzentos dias. E você, tão sincero, malandro e super discreto, exatamente como duzentos dias atrás, também nem perguntou. (...) Como numa cena de fluxo lento. Fazia muito tempo que a gente não se via depois que tudo deu errado. E ainda assim foi bom. Mesmo não "sendo pra ser".

adaptado de Gabito Nunes.

sábado, 16 de julho de 2011

hj tudo o que eu queria era abrir a página de postagem e conseguir escrever, escrever e "botar pra fora" todas essas coisas que estão me incomodando... chegando aqui percebo que tenho tanta coisa passando pela cabeça que mal sei por onde começar.
são dúvidas, mal entendidos, saco cheio e afins
melhor manter a boca fechada e os dedos sossegados.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

algumas pessoas deveriam entender que há dias em que não estamos bem o suficiente pra ouvir grosserias e agir indiferente a elas.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

quanto mais eu vivo e experimento, mais percebo que relacionamento não é pra mim... não abro mão das minhas coisas, minhas vontades, minhas insanidades e, quando me envolvo com alguém, até ajo de forma diferente, mas por fim acabo estragando tudo minutos depois.
há quem considere isso defeito, há quem me ache maluca por isso.
mas ainda tenho preferido meu espaço, meus momentos de insanidade, meus surtos de alegria e "saltitâncias"... a cada dia mais!

terça-feira, 5 de julho de 2011

"Inconscientemente, parecia querer buscar em autores, filmes e músicas, algum tipo de consolo. Como se alguém precisasse chegar bem perto do sofá, onde estava, colocar um das mãos em seu ombro e dizer que aquilo era normal. Que acontecia também com outras pessoas. E que iria passar."

Caio Fernando Abreu

domingo, 3 de julho de 2011

minha intuição nunca me engana...
só não sei porque ainda não aprendi a levar isso em consideração.

pequeno desabafo


não
não vou mais agir impulsivamente
surtar, falar coisas feias, voltar com o ex, desligar a minha vida na sua cara
não vou mais me importar, tentar te deixar bem, cuidar de você nem que seja à distância
tentar manter qualquer relação que seja por causa desse meu gostar de você ou pra mostrar como lido bem com toda essa situação
não faz sentido
não faz mais sentido agir assim em meio a tanta atitude medíocre e mesquinha
aja de acordo com suas palavras, encare as coisas como elas realmente são
não cobre de ninguém o que você não pode dar
não perturbe os outros com papinho furado se você faz tudo as avessas
e, por favor, não espere mais nada de mim.
era tudo tão absurdo...


e virou saudade.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

muitas vezes as pessoas não vão entender seus atos
haja de acordo com seus princípios, e se, mesmo assim você acabar escorregando, conte com seus amigos pra lhe indicarem a direção
esqueça quem lhe magoou
esqueça quem quer lhe magoar
tente, tente, tente
seja feliz

quarta-feira, 29 de junho de 2011

sim!


porque eu resolvi dizer sim, e ninguém tem nada a ver com isso
falei sim e abri mão de muitas outras coisas que eu sempre quis, mas que só causavam estrago
aceitei a nova condição que agora me cabe e os riscos que ela inclui
disse sim e já ouvi mil "bafafás" dizendo que estou errada, que não deveria, que merda estou fazendo
não quero mais opiniões
não quero mais pessoas se metendo onde não são chamadas
quem me importa são poucos e esses poucos, assim como eu, estão convencidos de que o momento é este
disse sim de coração tranquilo, pés no chão e cabeça em cima do pescoço - e não na lua, como costumava estar em situações como esta
não estou eufórica, não estou fazendo planos, não estou sonhando
estou em paz, e isso é tudo o que me importa!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

as coisas vêm e vão

ele diz: puts... e eu tava sossegadinho... até sonhar com vc hj a noite e todas as recordações voltarem... e isso ta na minha cabeça o dia inteiro

eu digo: é.... nem sei o que dizer, eu evito fazer essas recordações voltarem...

ele diz: é... eu tb tenho evitado pensar nisso, mas dessa vez, foi inevitável.




só faz constatar como é difícil se desvencilhar quando tudo é (bom) demais.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Antes de dormir rezei, mas dessa vez não pedi o moço de cavalo branco (carro do ano) e da espada gigante (vocês entenderam), apenas agradeci por estar me sentindo tão inteira, feliz, em paz e, principalmente, por não precisar de
ninguém ao meu lado para estar bem.

(Tati Bernadi)

terça-feira, 21 de junho de 2011

segunda-feira, 20 de junho de 2011

“Que comece agora. E que seja permanente essa vontade de ir além daquilo que me espera. E que eu espero também. Uma vontade de ser. Àquela, que nasceu comigo e que me arrasta até a borda pra ver as flores que deixei de rastro pelo caminho. Que me dê cadência das atitudes na hora de agir. Que eu saiba puxar lá do fundo do baú, o jeito de sorrir pros nãos da vida. Que as perdas sejam medidas em milímetros e que todo ganho não possa ser medido por fita métrica nem contado em reais. Que minha bolsa esteja cheia de papéis coloridos e desenhados à giz de cera pelo anjo que mora comigo. Que as relações criadas sejam honestamente mantidas e seladas com abraços longos. Que eu possa também abrir espaço pra cultivar a todo instante as sementes do bem e da felicidade de quem não importa quem seja ou do mal que tenha feito para mim. Que a vida me ensine a amar cada vez mais, de um jeito mais leve. Que o respeito comigo mesma seja sempre obedecido com a paz de quem está se encontrando e se conhecendo com um coração maior. Um encontro com a vontade de paz e o desejo de viver.”

(Caio F. Abreu)

domingo, 19 de junho de 2011

falei pra ele "calma, não é assim que as coisas funcionam, não é assim que elas vão se resolver... foi pouco tempo e já faz tanto tempo... e também tem outra pessoa"

quarta-feira, 15 de junho de 2011

as pessoas dão sinais de que não valem a pena,
você só precisa se atentar aos fatos como eles são, e não como gostaria que eles fossem.





"me desculpe se eu fechar os olhos e desaparecer"



quarta-feira, 8 de junho de 2011

"É duro reconhecer que todo esse sofrimento foi em vão, porque não existe vida quando a gente está triste e só e ninguém quer saber de quem está por baixo. Não vale a pena sofrer, meu amor, de tudo o que eu passei, essa foi a única lição."

Cazuza

terça-feira, 7 de junho de 2011

do pouco que sei

Ninguém jamais me fez sofrer, nunca me obrigariam a isso, sempre que sofri por alguém foi porque quis, não por julgar que valessem a lágrima, cada uma delas.”

(Gabito Nunes)



"Eu devo reconhecer que ninguém me conhece. Não realmente. Os que mais sabem não sabem da metade. Não deixo todos os segredos escaparem de mim, não mesmo. Uma delicadeza com os outros, eu diria, pois não quero assustar as pessoas com meu passado. Em especial aquelas que continuaram gostando de mim após o pouco que souberam. Mesmo porque aquela, que fez aquilo, não está mais aqui. Eu sou literalmente outra."

- Fernanda Young -

as pessoas sabem quase nada a meu respeito e têm o costume de me julgar e agir pensando que sabem muito.
quem me conhece de verdade sabe que alguns de meus limites não vão muito longe e por isso evitam certas atitudes; sabe que cara feia pra mim é fome e se o problema for comigo é melhor me chamar e conversar; sabe das minhas relações conturbadas e dos meus medos; da minha mania de fugir de algumas situações... enfim... uma série de coisas.
só to escrevendo isso porque ando cansada desse bando de gente desocupada que fica pensando que eu tenho medo de cara feia, de grosseria, de egoísmo e, pior ainda, que eu tenho 15 anos, disposição e paciência pra entrar em guerrinha por um homem... peloamordedeusminhagentevamoscrescer!

sexta-feira, 3 de junho de 2011


não sei de onde vem essa mania (ou necessidade) da minha mente de criar essas confusões quando as coisas estão aparentemente indo bem.
por que complicar tanto?
por que duvidar, achar que de outro modo as coisas talvez possam ser melhores?
é claro que sei o porque, só não sei como tornar isso menos irritante pra mim...
preciso parar com essa coisa de, toda vez que isso acontecer, acreditar que a melhor saída seja largar tudo e sair correndo....
fuga demais, negação demais, racionalização demais.




quinta-feira, 2 de junho de 2011

Caio F. Abreu

"Mas quero te contar umas coisas. Mesmo que a gente não se veja mais. Penso em você, penso em você com força e carinho."




... porque eu não sei por qual caminho seguir...
sempre tem aquele mais fácil, e o outro, cheio daquelas coisinhas com as quais ainda não aprendi a lidar.


"Dá um certo trabalho decodificar todas as emoções contraditórias, confusas"

segunda-feira, 30 de maio de 2011


... e faço minhas as palavras de Johnny Cash
"no I won't back down... you can stand me up at the gates of hell, but I won't back down"

a louca

se eu dou piti eu sou louca, estranha...
mas será que as pessoas algum dia se perguntam até que ponto uma piada tem um fundo de verdade?
até que ponto quem se diz amigo é realmente amigo?
até que ponto aquela corda que você ganhou não vai te enforcar daqui um pouco?

(sim, eu estava puta da vida quando escrevi isso... o tema ainda vai render um texto... eu espero)

quinta-feira, 19 de maio de 2011



eu me esforço; me empenho; faço tudo que for possível; dou força; apoio moral; dou o braço a torcer; aceito mesmo torcendo o nariz...
mas eu encho o saco fácil demais; começo a pensar racionalmente e não encontro razão pra continuar; encontro mil razões pra pular fora...
porque essa coisa de "banho maria" não me serve; conveniências não me servem; é preciso mais do que gostar de estar, de ter; é preciso mais do que um rostinho bonito e uma boa pegada...
é preciso uma combinação astrológica, meio kármica; aquele lance dos sininhos; de troca; de semelhanças; de gosto e gostos; tudo aquilo que se foi... sei que um dia encontro em outro lugar por aí

terça-feira, 17 de maio de 2011

faz sentido

"Eu quero parar com tudo isso, ele é um menino que não pode acompanhar minha louca linha de raciocínio meio poeta, meio neurótica, meio madura. Eu quero colocar um fim neste tormento de desejar tanto quem ainda tem tanto para desejar por aí."

(Tati Bernardi)

mais um dezoito de maio



amanhã, dia 18 de maio, é um dia que eu espero ainda ter muitos anos pela frente pra comemorar... é aniversário de uma das pessoas mais importantes da minha vida... meu pai!
seu Elton Francisco Werlang, ser ranzinza e de bom coração; pai dedicado mesmo a distância, que hoje vê suas filhotas crescidas e seu filhote ainda pequeno precisando de toda atenção que lhe possa ser oferecida.
meu pai sempre foi diferente de todos os pais das minhas amigas... mesmo estando longe, esteve presente, nem que fosse mandando e-mails exigindo atenção; sempre com aquele jeito durão, dando esporro que dói na alma, mas quando faz suas declarações de amor chora feito criança.
meu pai não é perfeito, tem seus defeitos, mas já teve muitos mais... hoje é um homem diferente, com atitudes diferentes... mas aquele jeito lindo de me empurrar pra frente continua ali, sempre intacto. seu Elton foi sempre meu melhor amigo, mais até do que minha mãe, admiro muito a forma sensata como lida com as situações, como da conselho, como indica a direção...
só eu sei como é ruim estar longe dele, daquelas brincadeiras chatas que me deixam muito irritada; daquelas comidinhas gostosas que ele prepara quando vou visitá-lo; das nossas conversas sérias que geralmente acabam com um de nós chorando (ou até mesmo os dois); dos nossos vinhos, cervejas, futebol aos domingos; dele me chamando de cachorra quando o surpreendo com uma mordida, ele fica bravo e sai berrando pela casa; daquela mania de me carregar pras suas uvinhas, porque eu preciso me interessar por elas (algum dia, quem sabe); daquele senso de humor incrível, que me faz pensar de onde ele tira aquelas piadinhas cretinhas...
meu pai é figura rara, um homem admirável e que com certeza não desperta outro sentimento nas pessoas que o cercam que não seja o carinho e a admiração... sabe muito da vida e sempre tem a palavra certa pra dizer pra quem quer que seja. sempre lutou pra ser quem é hoje, sem precisar passar por cima de ninguém... sempre cumpriu com seu papel de pai, sempre fez o melhor por mim e minha irmã e é por isso que agradeço a Deus por ele ter me dado o melhor pai que eu poderia ter; e por isso que eu peço a Ele que proteja meu velhinho por muitos e muitos anos, pra que, mesmo em e-mails mensais, eu possa dizer pra ele o quanto eu o amo, admiro e sou grata por tudo que fez e faz até hoje por mim e minha irmã.
TE AMO PAI!


ontem, quando percebi, no meio daquela discussão, que eu estava repetindo com você o que fizeram comigo meses atrás, foi inevitável a meia volta em meio a tudo que se passava.
eu prometo que não vou te fazer passar pelo que passei; prometo que não vou fazer ninguém passar pelo que passei...
indiferença é sempre o pior caminho

segunda-feira, 16 de maio de 2011

engraçado pensar essa mania que as pessoas tem de agir sem pensar nas conseqüências e acreditar que desculpas resolvem tudo.... que pedir desculpa basta para que coisas fiquem bem e voltem a ser como eram.
"Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso."

- Caio F. Abreu -

sábado, 7 de maio de 2011

"tudo isso porque admitir a falta ou a saudade só faria doer ainda mais"

esquecer demora, leva tempo e exige muito empenho... você precisa desejar e trabalhar muito pra que isso aconteça, querer apenas não basta.
esquecer é um constante exercício de paciência; hoje você não pensa, amanhã não faz outra coisa além de pensar e relembrar.
pessoas são difíceis de se esquecer, acontecimentos são ainda piores; você pode deixar de pensar naquela pessoa, mas dificilmente deixará de lembrar dos bons momentos que passou junto a ela; e se os acontecimentos não possuem finais felizes, sinto muito, acaba sendo ainda mais difícil esquecer.
esquecer é difícil e, as vezes, impossível; fato é que tudo, exatamente tudo - seja bom ou ruim- em algum momento vai ficar guardado em um canto reservado da nossa mente e não irá mais doer, serão apenas lembranças, boas ou ruins, mas que não causarão mais estragos como causaram um dia. confesso que tenho aguardado impaciente por esse dia.


segunda-feira, 2 de maio de 2011

quem sabe seremos todos mais felizes quando resolvermos aceitar a necessidade de esquecer, que as coisas como são - sem fantasias ou ilusões - e que finais existem e não são totalmente ruins.

terça-feira, 12 de abril de 2011


“Cuide-se como se você fosse de ouro, ponha-se você mesmo, de vez em quando, numa redoma e poupe-se.”

- Clarice Lispector -

sexta-feira, 1 de abril de 2011

dispensa comentários

acabei de ler na entrevista de Ariadna ao Paparazzo

"As pessoas pensam que podem entrar e sair da minha vida quando querem. Mas têm a surpresa quando encontram a porta fechada"

(autor desconhecido - até o momento)

quarta-feira, 30 de março de 2011

inquietação

já ouvi, li, vi e fiz de tudo um pouco hoje, mas o que me mata são esses pensamentos que, independente da minha concentração em algo, não saem da minha cabeça... e nessas horas parece que o mundo definitivamente não conspira a meu favor, toca "aquela" música, olhando os e-mails aquele de "feliz ano novo" tão fofinho continua na primeira página, até na novela o Tarcísio Meira fala coisas que parece serem pra mim... (aaaaffff)
e o que fazer?
NADA!
triste resposta, mas no momento não há nada a ser feito... mãos atadas
e não adiantam promessas alheias, beijos deliciosos, frases bonitas e olhares encantados, a cabeça continua lá - e quando digo cabeça é porque o coração nada tem a ver com isso, tá tudo ali, enfiado num canto do sistema límbico - seja por idealização, projeção, introjeção, ou por pura saudade, continua lá, as vezes distraído, mas nunca esquecido.
parece mandinga - daquelas bravas - da minha mãe, ou de alguma das minhas amigas pras quais eu vivia dizendo que não queria saber de ningúem... isso justificaria o fato de elas sempre me falarem "não te disse que um dia alguém ia mudar esse pensamento?" ou "isso ainda vai dar casamento".
mas sei bem que não é mandinga, nem o melhor sonho da minha mãe ou amigas... aconteceu, assim, sem explicação... e persiste, resiste a todos os meus surtos e pitis de "não quero mais saber de você", a toda essa distância que as situações e escolhas de cada um impuseram, a todos meus desaforos e todas as insensibilidades e silêncios dele, as vezes que volto atrás e ele faz de conta que nada aconteceu, a saudade de meses sem se ver que a gente mata em menos de 24 horas...
escrevendo isso eu sei bem porque resiste... sinceridade, cumplicidade, entrega, aquela coisa de um aceitar e saber lidar com os defeitos do outro (raros são os homens que me aguentam na tpm!!), apoio, preocupação, interesse...
e ao contrário do que me parece as vezes, é difícil tapar esse buraco, mas confesso que continuo tentando... talvez numa louca idéia (conformista) de que não é pra ser, ou talvez de que algo tão as avessas não possa acabar bem - e aí me vem o pensamento de que eu vou contra o maior dos princípios, aquele de viver o agora....
me desculpem, mas eu preciso falar putaquepariuquemerda
é, realmente nós, os humanos, complicamos demais as coisas...
dá licença que eu fui ali escrever um e-mail

Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou, e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar.

Caio F. Abreu

terça-feira, 29 de março de 2011



vai além
voltando
aos poucos vou arrumar minha vida de nerd
tudo ficou jogado as traças e eu to com uma puta saudade daqui
preciso paciência e criatividade, confesso
aos poucos tudo se ajeita

sábado, 26 de fevereiro de 2011

“E tem gente maravilhosa que, de repente, vai ficando longe, difícil de ver – e aí dança. Mas também acho que aquilo que é bom, e de verdade, e forte, e importante – coisa ou pessoa – na sua vida, isso não se perde. E aí lembro de Guimarães Rosa, quando dizia que “o que tem de ser, tem muita força”. A gente não tem é que se assustar com as distâncias e os afastamentos que pintam.”


Caio F. Abreu