segunda-feira, 2 de maio de 2011

quem sabe seremos todos mais felizes quando resolvermos aceitar a necessidade de esquecer, que as coisas como são - sem fantasias ou ilusões - e que finais existem e não são totalmente ruins.

Nenhum comentário: