quarta-feira, 29 de junho de 2011

sim!


porque eu resolvi dizer sim, e ninguém tem nada a ver com isso
falei sim e abri mão de muitas outras coisas que eu sempre quis, mas que só causavam estrago
aceitei a nova condição que agora me cabe e os riscos que ela inclui
disse sim e já ouvi mil "bafafás" dizendo que estou errada, que não deveria, que merda estou fazendo
não quero mais opiniões
não quero mais pessoas se metendo onde não são chamadas
quem me importa são poucos e esses poucos, assim como eu, estão convencidos de que o momento é este
disse sim de coração tranquilo, pés no chão e cabeça em cima do pescoço - e não na lua, como costumava estar em situações como esta
não estou eufórica, não estou fazendo planos, não estou sonhando
estou em paz, e isso é tudo o que me importa!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

as coisas vêm e vão

ele diz: puts... e eu tava sossegadinho... até sonhar com vc hj a noite e todas as recordações voltarem... e isso ta na minha cabeça o dia inteiro

eu digo: é.... nem sei o que dizer, eu evito fazer essas recordações voltarem...

ele diz: é... eu tb tenho evitado pensar nisso, mas dessa vez, foi inevitável.




só faz constatar como é difícil se desvencilhar quando tudo é (bom) demais.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Antes de dormir rezei, mas dessa vez não pedi o moço de cavalo branco (carro do ano) e da espada gigante (vocês entenderam), apenas agradeci por estar me sentindo tão inteira, feliz, em paz e, principalmente, por não precisar de
ninguém ao meu lado para estar bem.

(Tati Bernadi)

terça-feira, 21 de junho de 2011

segunda-feira, 20 de junho de 2011

“Que comece agora. E que seja permanente essa vontade de ir além daquilo que me espera. E que eu espero também. Uma vontade de ser. Àquela, que nasceu comigo e que me arrasta até a borda pra ver as flores que deixei de rastro pelo caminho. Que me dê cadência das atitudes na hora de agir. Que eu saiba puxar lá do fundo do baú, o jeito de sorrir pros nãos da vida. Que as perdas sejam medidas em milímetros e que todo ganho não possa ser medido por fita métrica nem contado em reais. Que minha bolsa esteja cheia de papéis coloridos e desenhados à giz de cera pelo anjo que mora comigo. Que as relações criadas sejam honestamente mantidas e seladas com abraços longos. Que eu possa também abrir espaço pra cultivar a todo instante as sementes do bem e da felicidade de quem não importa quem seja ou do mal que tenha feito para mim. Que a vida me ensine a amar cada vez mais, de um jeito mais leve. Que o respeito comigo mesma seja sempre obedecido com a paz de quem está se encontrando e se conhecendo com um coração maior. Um encontro com a vontade de paz e o desejo de viver.”

(Caio F. Abreu)

domingo, 19 de junho de 2011

falei pra ele "calma, não é assim que as coisas funcionam, não é assim que elas vão se resolver... foi pouco tempo e já faz tanto tempo... e também tem outra pessoa"

quarta-feira, 15 de junho de 2011

as pessoas dão sinais de que não valem a pena,
você só precisa se atentar aos fatos como eles são, e não como gostaria que eles fossem.





"me desculpe se eu fechar os olhos e desaparecer"



quarta-feira, 8 de junho de 2011

"É duro reconhecer que todo esse sofrimento foi em vão, porque não existe vida quando a gente está triste e só e ninguém quer saber de quem está por baixo. Não vale a pena sofrer, meu amor, de tudo o que eu passei, essa foi a única lição."

Cazuza

terça-feira, 7 de junho de 2011

do pouco que sei

Ninguém jamais me fez sofrer, nunca me obrigariam a isso, sempre que sofri por alguém foi porque quis, não por julgar que valessem a lágrima, cada uma delas.”

(Gabito Nunes)



"Eu devo reconhecer que ninguém me conhece. Não realmente. Os que mais sabem não sabem da metade. Não deixo todos os segredos escaparem de mim, não mesmo. Uma delicadeza com os outros, eu diria, pois não quero assustar as pessoas com meu passado. Em especial aquelas que continuaram gostando de mim após o pouco que souberam. Mesmo porque aquela, que fez aquilo, não está mais aqui. Eu sou literalmente outra."

- Fernanda Young -

as pessoas sabem quase nada a meu respeito e têm o costume de me julgar e agir pensando que sabem muito.
quem me conhece de verdade sabe que alguns de meus limites não vão muito longe e por isso evitam certas atitudes; sabe que cara feia pra mim é fome e se o problema for comigo é melhor me chamar e conversar; sabe das minhas relações conturbadas e dos meus medos; da minha mania de fugir de algumas situações... enfim... uma série de coisas.
só to escrevendo isso porque ando cansada desse bando de gente desocupada que fica pensando que eu tenho medo de cara feia, de grosseria, de egoísmo e, pior ainda, que eu tenho 15 anos, disposição e paciência pra entrar em guerrinha por um homem... peloamordedeusminhagentevamoscrescer!

sexta-feira, 3 de junho de 2011


não sei de onde vem essa mania (ou necessidade) da minha mente de criar essas confusões quando as coisas estão aparentemente indo bem.
por que complicar tanto?
por que duvidar, achar que de outro modo as coisas talvez possam ser melhores?
é claro que sei o porque, só não sei como tornar isso menos irritante pra mim...
preciso parar com essa coisa de, toda vez que isso acontecer, acreditar que a melhor saída seja largar tudo e sair correndo....
fuga demais, negação demais, racionalização demais.




quinta-feira, 2 de junho de 2011

Caio F. Abreu

"Mas quero te contar umas coisas. Mesmo que a gente não se veja mais. Penso em você, penso em você com força e carinho."




... porque eu não sei por qual caminho seguir...
sempre tem aquele mais fácil, e o outro, cheio daquelas coisinhas com as quais ainda não aprendi a lidar.


"Dá um certo trabalho decodificar todas as emoções contraditórias, confusas"